Blog, costura

As calças

Desde que tomei a decisão de não comprar mais roupas e usar parte do meu tempo livre para estudar e praticar uma das coisas que mais gosto de fazer (a costura) sabia que poderia desenvolver muitas coisas. Só não sabia que voltaria para as calças jeans tão logo.

Em 2009 ou 2010 comecei a fazer um jeans. Até fiz um post sobre isso há uns anos e, por sorte, encontrei a foto da velha calça numa pasta antiga. Eu não cheguei a terminar essa calça porque ela me deu tanto trabalho que, sinceramente, perdi o tesão. Outro problema era a modelagem que estava larga demais e, junto com a falta de vontade de terminar a calça, estava também a falta de vontade de alterar a modelagem. No fim, foi tudo pro universo paralelo dos projetos inacabados e por lá ficou: no mofo das costuras esquecidas. Que limbo!

1jeansvelho

Quando me mudei para a Nova Zelândia, naquele processo de escolher minunciosamente o que entraria em apenas duas malas (falei disso neste vídeo), trouxe 3 calças jeans:

1) uma escura, que amava mas estava justa, quase me incomodando;
2) uma clara que comprei por completa necessidade numa viagem (eu não tinha o que vestir, sério, sem mimimi) e, embora tivesse uma modelagem feia e me vestisse mal, era de um tecido super macio e gostoso de usar;
3) e um jeans rasgado com uma leve pegada  “bad girl Riri” – hahaha.

Pra mim isso seria suficiente: duas calças basiconas (sendo uma clara e uma escura) que poderiam ser usadas em qualquer lugar e outra com um visual mais relax, que possivelmente seria menos usada (em trabalho, lugares quase formais etc). Mas daí rolou o primeiro problema: coloquei a mierda da calça escura na secadora de roupas e ela encolheu a ponto de não entrar em mim. Encolheu tanto que sentia a circulação das minhas pernas tão ruins que passei a sentir a perna super cansada quando tentava usa-la. Era o fim de um relacionamento dando suas caras e, enquanto costurava o casaco de Tweed e a jaquetinha uva, pensei em procurar um jeans numa loja qualquer.

Daí entra o segundo problema: sofro de uma doença quase comum chamada “dedo podre”, ou seja, se provo 3 calças similares, acabo gostando da mais cara. Assim sendo, dentro de um provador neozelandês decidi que faria minhas próximas calças jeans.

Foi assim que decidi voltar praquela modelagem empoeirada e recomeçar a fazer um jeans pra chama-lo de meu.
O processo, como alguns já conhecem começou na piloto que, ao ficar pronta estava tão bonitinha que, se não tivesse um tecido tão ordinário, usaria sem problema.

2

Desse piloto, fiz todos os ajustes iniciais do molde: mexi no quadril, na largura das pernas, subi a cintura e fiz bolsos mais profundos (lembra disso?).
Piloto aprovada, decidi cortar a primeira calça.

Uma história:

Um dia eu vi uma mini coleção da Animale que achei lindona: as estampas eram zebradas, mas com tons lavados, clarinhos. Quis muito o vestido, mas custava uns 600 reais (ouchi!). Em seguida, vi a calça que, olha só, era mais barata, cerca de 400. HAHAHA socorro.
Gente, não tenho coragem. Posso até ter o dinheiro, mas não tenho a coragem de gastar o mesmo que uma passagem pra Salvador, numa calça (minha moeda são passagens aéreas, risos). Fiquei salivando de vontade mas deixei pra lá.
animaleO vestido ainda é querido – fotos Animale

Pouco tempo depois uma aluna chegou com esse tecido pra aula e eu quase dei um pulo!
Primeiro achei que fosse exatamente o mesmo da Animale, depois vi que a estampa era menor, ou seja, um primo parecido. Corri pra loja e comprei 2 metros, que vieram comigo pra NZ, embaladinhos na mala.
O engraçado é que, quando resolvi costurar a calça, fiquei em dúvida se usaria, pois nunca me identifiquei com estampas de bicho – nada contra, acho legal, inclusive, só não combinam muito comigo – mas resolvi arriscar. E saiu essa lindezinha aqui que ainda não usei:
Se clicar nas fotos elas aumentam:

Na prova final ele ficou bom e eu resolvi em seguida, cortar o molde no jeans.

Jeans Skinny :

Numa loja de tecidos, escolhi um jeans bem fininho e molinho (trauma da antiga calça apertada!) pois minha prioridade seria o conforto. O molde é o mesmo da calça zebrada e o processo de costura foi relativamente rápido (trabalhei um dia inteiro – 24 hrs – na calça). Zíper perfeitamente posto, cós encaixadinho e pronto, só usar.

Mas qual não foi minha surpresa quando vesti a calça e ela estava larga??? OMG!

Quase tive um treco, sério! Problema nenhum usar uma calça larga, eu até gosto. O problema é quando fica um papo feio na frente ou um sobra esquisita no quadril. Eu confesso que essas coisas largas/defeituosas ficam muito feias no meu corpo porque eu sou magrinha, não tenho bunda grande pra preencher, sabe? Então decidi desmanchar. Comecei uma reza forte (hahaha) e desmanchei todo o jeans pronto, mas valeu o trabalho. As fotos aumentam:

Ficou massa, ne? eu amei muito a calça jeans skinny. Gostei tanto que em seqüêcia fiz uma com a boca mais larga (próximo post).

O mais engraçado nisso tudo foi algo que comentei no Facebook: de repente tudo flui de uma maneira tão boa e tão tranquila que, em poucos dias fiz praticamente 5 calças: Uma piloto, uma zebrada, uma skinny, refiz a skinny e uma com a perna reta. Mais foto e um mini vídeo nos próximos dias ❤

Bom, essa foi a primeira parte da saga com as calças jeans. Em breve, outro post.

Com amor e costura,
Patricia C

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.