Blog, costura, textos

Armário feito à mão

Dia desses arrumando meu armário tive uma supresa: boa parte das roupas que tenho (e praticamente quase tudo o que atualmente visto) foi feito por mim.

5

 

Engraçado que quando vivia no Brasil, mesmo já trabalhando com costura há muitos anos, havia feito poucas roupas pra mim. O motivo principal era que o trabalho ocupava TANTO do meu tempo que nas horas vagas eu ficava desmaida no sofá OU com minha família OU com minhas amigas, jamais em companhia da máquina de costura.

Quando precisava costurar algo (um presente, um ajuste rápido etc) era feito em algum minuto de folga entre as aulas e só. O restante era trabalho, programação de aulas, peças piloto, organização e administração de ateliê etc.
Quando rompi a sociedade e me desliguei definitivamente do trabalho passei um período bom de descanso e pude costurar um pouco. Foi nesse meio tempo que este blog nasceu e algumas coisas foram registradas aqui (as roupas que fiz nos anos anteriores ficaram sem registro, coitadas!). Naquele período rolou um estalo: eu só trabalhava! =(

2

Mas a mudança ocorreu aqui na Nova Zelândia.
Eu só tinha dois casacos quentes, sendo um esportivo / à prova d’agua e outro mais arrumadinho. Sabe o que eu fiz com este arrumadinho? Deixei no Brasil.

OI ?

Cheguei na NZ e levei um ~tapa na cara~ desse vento louco e me dei conta que a roupa que eu tinha não seria suficiente pro “winter is coming”, risos. Fui procurar um casaco e logo me assustei com os preços. É obvio que eu só gostava das peças mais caras e as peças mais caras nunca cabem no meu bolso. Decidi então fazer os meus casacos e não somente eles, mas tudo o que eu fosse vestir em diante.

O primeiro casaco foi o de tweed, depois a jaquetinha e em seguida, o vermelho.

x

A partir daí a produção de roupas não parou mais, aliada aos meus estudos de modelagem e depois o canal do Youtube.

Confesso que ainda estou muito longe da minha “meta” na manunfatura de casacos. É com eles que trabalho a maior parte do meu tempo na alfaiataria e hoje sei distinguir um casaco bem feito de um mediano – e não são os medianos que quero fazer, oras! – então há muito o que aprender ainda.

3Foto feita pelo @reifus no dia em que fizemos o primeiro vídeo pro canal.

De qualquer forma, armário handmade mal programado e bem alcançado me traz satisfação. Tanta coisa mudou nesse 1,5 anos em terras neozelandesas e eu sou super grata ao tempo que tenho aqui pra estudar e produzir. Também sou grata ao meu trabalho que é escola e me permite aprender um monte.

5

E é claro que eu sigo paquerando vitrines e às vezes tenho vontade de comprar uma coisa ou outra, mas como eu decidi costurar, não comprei roupas aqui na NZ. Nem meias, lingeries ou sapatos (falarei disso mais tarde), apenas tecidos e as máquinas de costura.

O que eu acho disso tudo? Indico a experiência à todxs.
Vai trazer um ganho gigante no conhecimento, um armário um pouco mais humanizado (porque infelizmente grande parte o que a gente consome é feito com mão de obra escrava) e provavelmente roupas  únicas para a sua vida.

Não sei quanto tempo esse “experimento” vai durar mas sigo com meus planos, que tem me trazido muita satisfação.
Até logo e boas costuras,

Pat

 

obs. para receber os posts no seu email, cadastre-se no box ao lado, alí em cima —>

12 comentários em “Armário feito à mão”

  1. Oi Patrícia

    Tenho seguido o seu blog e canal à algum tempo. Gosto muito do seu trabalho e fico fascinada com as experiências que você partilha.
    Comecei à bem pouco tempo na costura, já fiz algum,a peças e tenho alguns projetos em mãos. Nem sempre é fácil fazer alguma coisa para mim, trabalho fora e quando chego em casa há sempre muito que fazer e sobra pouco tempo para a costura, mas adorava, tal como você, poder ter um guarda roupa só de peças feitas por mim. Um dia hei-de conseguir…
    Beijinhos e bons trabalhos

    Curtir

    1. Emilia, vá construindo seu guarda-roupa aos poucos.. eu ja costuro há tanto tempo e só agora tenho tido tempo para fazer isso,então não tenha pressa, costure com carinho =) Beijo grande, Pat

      Curtir

  2. Oi Patrícia! Tenho acompanhado cada nova postagem tua. Gosto muito do jeito como compartilhas tuas experiências; a impressão que tenho é de estar vivenciando junto contigo cada uma delas. Coisa boa é gostar do que se faz, e fazer o que se gosta. Receita de felicidade. Parabéns . Adorei a matéria sobre o desfile com o tema da África. Beijos e aguardo nova matéria.

    Curtir

    1. ô Marcia,que recado mais bonito. AMei o “saber o que se gosta” e é verdade, sei sim e tenho o privilégio de vivenciar isso.
      Obrigada pelo carinho e logo mais,mais posts aqui.
      beijo!

      Curtir

  3. Oi!!! Estive distante da internet e hoje li sua postagem e concordo muito.
    Muitas vezes nos sufocamos tanto ganhando o sustento que nem curtimos o que amamos fazer.
    Isso do guarda roupa humanizado me deixou super pensativa, ainda mais nessa loucura consumista que vivemos.
    Obrigada por existir Pat.

    Curtir

    1. Ahmmm que fofa vc, Joyce ❤
      Sim, o armario vai ficando mais humanizado e menos abarrotado de roupas.. Confesso que tem horas que enjoo de ter pouca roupa e viver usando as mesmas coisas, mas são fases.. rs. Beijo!

      Curtir

  4. Patrícia descobri teu canal no YouTube por acaso,me interessei e visitei teu blog….fiquei maravilhada com tua história o que me fez refletir pelo momento que estou passando.Estou insatisfeita com minha vida profissional e querendo retomar meu sonho de costurar minhas próprias roupas……mexo com costura desde a infância mas nunca encontrei nos cursos enlatados que fiz o conhecimento para criar…..tenho estudo sozinha acho que funciona melhor pra mim…..ter lido tua história me incentivou .Um grande abraço e continue vivendo teus sonhos

    Curtir

    1. OI Valeria, que legal que encontrou um caminho para fazer suas coisas.. Estudar por conta é uma boa forma, eu estudo muito sozinha também e adoro. Que bom que chegou até aqui e sinta-se bem vinda,viu! Beijo, Pat

      Curtir

  5. Nos conte mais sobre esse seu “experimento” de não comprar e sim fazer seu guarda roupas! Ando lendo muita coisa as respeito de um guarda roupas mais humanizado e ADORARIA saber sua opinião e idéias a respeito. Te admiro pakas e te acompanho em tudo que posso!!! Beijão

    Curtir

    1. Vishimaria, Rosali, acho que escrevi tudo no post hehehe. Fui até reler pra ver o que eu havia escrito.
      MAs é isso, decidi não comprar mais roupas e sim costurar. Claro que não é a decisão mais ágil do mundo (ágil é comprar) mas tem sido uma fase boa. VC costura? BEijo, Pat

      Curtir

  6. Oi Patricia: adorei ler seu post e cada vez mais me identifico com tudo o que é afetivo: a decoração da casa, as coisas que usamos (adoro usar bolsas que eu mesmo faço ou o quilt que fiz para minha filha e que espero que fique com ela por muitos anos ). Ainda não fiz roupas, mas meu sonho é ter um guarda-roupa como o seu. Acredito que as roupas que fazemos, além da longa duração ,são carregadas de significado do momento em que foram feitas. Ter cada vez menos e aproveitar mais o que temos é importante para darmos mais espaço para a nossa vida e do nosso planeta, né?!?

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.